segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Duelo do Som e do Silêncio


Um silêncio que corre para esse lugar
Vacila no canto do lado de lá
Rasgado ao meio por um assovio
Uma linha contínua como linha de fio
Tropeça e cai no meio do entulho
Perde a honra com o barulho

Agoniza-se no meio das ruas
Corta volta e entra na curva
A procura de uma paisagem nua
E bate a cara em quinas turvas
Entra em uma sala escura
E ouve uma voz pedindo que durma

Adentra a uma vereda a esmo
Reconhece o som de si mesmo
Descobre um planalto imenso
Assiste ao duelo entre o som e o silêncio

Nenhum comentário: