sábado, 2 de outubro de 2010

A Um Amigo de Guerra


Um grande amigo de guerra comemora um feito de longevidade hoje. Várias batalhas travadas neste campo astucioso. Perdemos algumas, é verdade. Perdemos várias, a maioria, na grande realidade. Mas a maior de todas continuamos vencendo: mesmo que perdendo a moral diariamente, tomando tapas na cara. Estamos sobrevivendo; e isso é o mais importante de qualquer guerra; por que este é o objetivo de qualquer guerra.

Há golpes mais doloridos que outros. O que mais dói é aquele que vem de um irmão de guerra. Eu esbofeteei a cara do meu companheiro de guerra, sem remorsos. E aprendi a lição mais primorosa que se pode aprender em uma guerra: não há golpe para o qual não exista um revide.

E depois do contra golpe, eu me levantei; abracei o meu amigo e pedi desculpas. Estamos juntos outras vez; e como sempre descobrindo campos de batalha cada vez mais tenebrosos. E um dia cairemos, juntos é claro; mas antes, daremos um tapa surdo no monstro que nos vencerá.

Nenhum comentário: