sexta-feira, 16 de julho de 2010

Poema das Línguas


Línguas lindas, mudas
Línguas estranhas, pontudas

Línguas de loucos
Nascem na boca dos outros
Línguas mudanas
São o meu tesouro

Línguas de fogo
Línguas abastecidas de violência
Queimam o meu corpo
Línguas sem prudência

Línguas que caminham pelo pescoço
Causam calafrios na nuca
Línguas que buscam meu almoço
Enquanto a donzela caminha para o nunca

Línguas bastardas fazem filhos em homens
Línguas loucas soletram prazeres
Línguas me chamam aqui
Línguas desocupam os afazeres

Línguas fazem leitura labial
Línguas, línguas..
Línguas curam minhas ínguas

Nenhum comentário: