sábado, 19 de junho de 2010

A Ideia, o Estrago

Quando um homem está no auge de sua fissura sexual, pouco importa a ele dar prazer à sua amante. Tudo o que este homem endiabrado quer é foder sua amante como um cavalo que cruza com uma égua, ou como um cachorro que trepa uma cadela. A mulher, quando também está no auge de sua fissura sexual, quer ser uma égua, ou uma cadela; ela escolhe o seu macho. O macho quer provar para ela que ele é o melhor. O estado natural dos homens e das mulheres. O homem quer foder, a mulher quer ser fodida; e os dois com um pensamento em comum: foda-se o resto do mundo.

Homens e mulheres rangem os dentes e entram em um êxtase simbolizado pelos gritos e gemidos. O suor escorre pelo corpo enquanto que o homem apenas quer penetrar mais fundo; e a mulher ser penetrada até o útero. O som é inexistente; a dor é o maior analgésico: isso também envolve jogos de palavras. As vezes eu gargalho das palavras.

Analgésico.

A melhor transa é feita inconscientemente; é um vulto que o casal se pergunta depois: "o que foi isso?".Não existe jogos e seduções no estado da inconsciência. Existe instinto. O gozo é o grito desesperado da liberdade; e aquele cheiro característico de sexo que se exala no local desde o início da transa, apenas é perceptível depois do sexo. Às vezes nem no final é perceptível.

A paz não tem cor, nem cheiro.

Nagasaki nas minhas entranhas.

Nenhum comentário: