sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Transgressão

Eu vou explicar tudo detalhado; explicarei por que entendi e por que gostei. A iniciar pelas convenções, é como se fosse uma Aletheia, com um sentido mais amplo e mais concreto. Você deve se perguntar por que concreto, se o problema, aliás, a solução, é justamente algo maleável. A questão é que concretizaram dessa maneira; e o que torna tão concreto é a opção alienada em optar por um muro feito, invés de construir o próprio muro.

Todas as questões autoritárias: a família, a igreja, a escola; tudo isso são orgãos do convívio; e pasme, eles concretizam o convívio. Definiram a maneira de viver. Eu entendo o porquê da revolta, mas eles não entendem. Um filho de deus disse-me filho do diabo quando falei que se a verdade existe, ela foi convencionada. Tolo!

Não quero me desviar. Vejamos o seu próprio exemplo; por que ao contrário das minhas, suas ações causaram impacto. Entendo sua timidez juvenil. A verdadeira juventude é uma tortura; você sabe muito bem o que eu digo. Perder a nobre euforia da infância, e pior, abrir a alma para descobrir que no fundo não há nada para ser descoberto, e digo mais, um traço feito sem ter uma consulta contigo, é no mínimo, tortuoso. É penoso procurar respostas e não achá-las.

Nenhum comentário: