domingo, 11 de dezembro de 2011

Senhora da Flor de Lótus

À minha espera havia uma senhora
Com uma flor de lótus em suas mãos
Em uma época em que a primavera
Não passava de um embrião

Em silêncio se dirigiu até mim
Em vestes de seda e cetim
Perfumada com o mais puro jasmim
E com colar de prata e marfim

Ao sorrir cessou a chuva
Delicadamente tocou a flor
E a minha visão embaçada e turva
Deixou de ser escura e ganhou cor

O corvo interrompeu o voo
O peixe saiu da água
O lagarto não rastejou
E eu deixei de lado a minha mágoa

Ela me fez pensar
Ela me fez dormir
Ela me fez sonhar
Ela me fez sorrir

E no meu sonho ela estava sentada em um trono
Acariciando as penas de um rouxinol
Que cantava brilhando ao sol:
O mundo é livre e não tem dono

Havia anjos dançando no pátio do palácio
E eu tinha uma flor de lótus na mão
Atrás de mim havia curingas e mágicos
E todos nós esperávamos a abertura do portão

Ela nos fez pensar
Ela nos fez dormir
Ela nos fez sonhar
Ela nos fez sorrir

E quando a senhora abriu uma fenda no céu azul
E esbanjou para todos da platéia o seu sorriso
Evocando orações mágicas para o paraíso
Do céu brotaram querubins de cabelos vermelhos e corpos nus 

Nenhum comentário: