terça-feira, 8 de novembro de 2011

Doce Tumba

Doce tumba na qual me apoio
Para ver o fim da tarde
Escutar se posso enxergar
Em um olhar a felicidade
Se posso enxergar
Nesse olhar a intensidade
Se posso enxergar
A intensidade de um sentimento
Sentimento concreto
Concreto como cimento
O meu é livre como o vento
Escrevo para ela
Necessito dela
Como espera
Pelo fogo
A vela

Nenhum comentário: