sábado, 3 de setembro de 2011

Assassino


No meio dessa madrugada solitária
Eu ouço tiros invadindo a escuridão
Os estilhaços cobrem toda a área
A vítima voa para o chão
                                               
Eu apenas vejo o assassino
Limpando o revólver no casaco

O assassino veste as luvas
Amarra o coturno, põe o chapéu.
Eu apenas olho a lua
E conto as estrelas do céu

O assassino senta no banco
Ei você, vire a cabeça e veja:
O assassino é branco
Nós dois estamos na igreja

O assassino está nas avenidas
A pé, ele nota o olhar.
Estou logo atrás da menina
Observo sua cintura rebolar

O assassino entra no carro
Liga o rádio, segura o volante.
Olho atento para os lados
Só preciso de um instante.

Nenhum comentário: