quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Trilhas Escuras


Preciso de um pouco de sanidade para encarar as loucuras do mundo. Eu adoraria mudar o mundo, mas sou incapaz; pois larguei toda a loucura na juventude. Crescer me deixa ignorante; não entendo por que larguei todas as minhas ideias para seguir manuais. Hoje eu tenho o meu padrão, sigo o padrão e sou padrão. Só não sou patrão.

Tudo bem, isso não me interessa. O que me interessa é o que eu tenho comigo. O que carrego. Evolução não é revolução. Há tantas milhas de estradas perdidas dentro de mim e quando percebo todos esses caminhos que não experimentei, sinto que todos esses anos foram inúteis. Um último desejo seria voltar e furar os meus olhos, seguir as trilhas escuras. A luz está do outro lado do negro do céu. No fim da linha, na última gota do poço. Não nos manuais.

Nenhum comentário: