sábado, 23 de abril de 2011

Despedida

Devo sentir saudades
Das horas da tarde
Que passavam devagar
Me fazendo companhia

Onde as vozes não me observava
Mas me dava dicas certas
De como se deve pensar
E escrever poesias lerdas

Por que horas são amigas
Quando você decide ser amigo
Invés de fazer filas
De pensamentos incertos

Sentirei saudades
De um tempo que não volta mais
Um tempo que cantou para mim
O que ele próprio faz

Quando alguém decide ser delicado
E passa algumas horas ao seu lado
Todos os dias no mesmo lugar, parado
Ouvindo suas histórias embriagado

Até mais tempo perdido
Lembrarei sempre de você
Quando eu precisar de um amigo

Nenhum comentário: