quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Novo Dia


Qualquer coisa para me satisfazer; que seja capaz de me tirar da minha mente. Eu preciso esquecer toda honra e toda glória que me espera ao amanhecer, já que enquanto essa aurora não chega, eu vivo pelos cercos da noite, escolhendo a dedo o que pode me deixar um pouco melhor. Sim, é o meu passatempo preferido.

Há doses que não são tão corretas sem a devida partilha; então quando planejará sentar-se aqui? Pois há uma cadeira nervosa à sua espera. Eu jamais me esqueço de quem ainda estar por vim! Sou blasfemador com aqueles que dizem ter aceitado. Mas esses mesmos já andaram comigo.

É claro que desisti dos trabalhos infrutíferos. O que é grande, não é bem feito; o específico atinge o concentrado. Qualquer um de vocês me serve; sempre fui um admirador da natureza. Afinal, eu sou a melhor parte dela.

Nenhum comentário: