terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Metáforas Desejam


Olhos devoram o paladar
Santuários apavoram o ego
Viver consome o ar
Que brilha a vida do cego

Não espere por mim
Eu já estou longe
Alavancando o meu fim
Perdido, não sei onde.

Um último sorriso
Lento e alegre
Que tenha a capacidade
De espantar a minha febre

Metáfora me cansa
Mas eu a uso
Melhor que uma lança
É ter um parafuso
No meio da cabeça

Nenhum comentário: